sábado, 5 de fevereiro de 2011

OS PRÉ-REFORMADORES - LIÇÃO 06 JUVENIS


Texto Bíblico: Apocalipse 3.1-6

PEDRO VALDO, JOHN WYCLIFFE E JOHN HUSS:
OS PRÉ – REFORMADORES DA IGREJA


Prezado professor, a obra “Deus E o Seu Povo” pode auxiliá-lo muito nesse trimestre. De acordo com o historiador eclesiástico James Garlow, Deus levantou três homens num contexto de corrupção e perversidade na Idade Média. São eles:

PEDRO VALDO – Nascido em Lyon (1150 – 1218), França, filho de um comerciante rico, Pedro Valdo tornou-se um homem de negócios bem sucedido. Porém, entre os anos de 1175 e 1176, Pedro Valdo vivenciou a transformação integral de sua vida através de seu encontro com Cristo. Apaixonado pela Escritura, ele instituiu dois sacerdotes (clérigos) para traduzir os principais trechos da Bíblia para o francês, a fim de que as pessoas pudessem lê-la e estuda-la. 

Pedro Valdo, por amor a Cristo, doou toda a sua fortuna para os pobres e começou a viajar para pregar a Palavra de Deus. Depois de algum tempo alguns seguidores começaram a aglomerar-se em torno da pessoa de Pedro Valdo. Por isso formou-se um grupo denominado “Os Valdenses”. Eles viajavam pregando e ensinando a Palavra de Deus. Uma de suas ações mais corajosa foi denunciar a vida luxuosa que o clero católico levava, em detrimento da vida simples do povo, e sua mundanidade.

JOHN WYCLIFFE – Nascido entre 1325 e 1329, em Hipswell, na área de Yorkshire, Inglaterra. John Wycliffe foi considerado a pessoa mais influente na Inglaterra. A partir de 1340, graduou-se em três faculdades pela Universidade de Oxford. E concluiu seu doutorado em Teologia. A faculdade de Balliol, na Universidade de Oxford, foi o lugar aonde ele lecionou pela primeira vez. 

John Wycliffe destacou-se pelas realizações de suas conferências onde ele atacava permanentemente a devassidão e a perversidade do clero. Naturalmente essas críticas ganharam a força e aprovação dos trabalhadores camponeses – cansados de enviar grande somas de dinheiro para sustentar o estilo de vida luxuoso do clero.  

John Wycliffe, ainda, se levantou contra a doutrina da Igreja Católica Romana e sua estrutura de governo. Ambas eram opostas frontalmente à Bíblia. Isso lhe rendeu alguns ataques e retaliações, mas através de John Wycliffe o caminho da Reforma Protestante estava ascendendo. 

JOHN HUSS – Nasceu entre 1369 e 1374, Husinetz, ao sul da Boêmia. Sua morte foi documentada com todos os detalhes. Através desta, Jonh Huss é considerado o “João Batista” de Martinho Lutero. Enquanto ele era queimado na estaca, disse: “Hoje vocês queimam um ganso insignificante, mas daqui a cem anos ouvirão o canto de um cisne que não será queimado, e nenhuma artimanha ou armadilha o prenderá”. Muitos interpretam que o cisne se referia a Martinho Lutero, porque cem anos depois ele não foi queimado na estaca por dizer as mesmas coisas pelo que Huss fora condenado.   

Professor, pesquise sobre esses três personagens da história eclesiástica e diga aos seus alunos a importância de se ter reserva moral em meio a corrupção desse mundo. Destaque o exemplo dos servos de Deus do passado e incentive-os a lerem sobre a vida de grandes servos de Deus desse período difícil da Igreja de Cristo.

 Boa aula e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua visita.Deixe aqui o seu comentário e responderemos assim que possível.

ORIGEM DA ESCOLA DOMINICAL

Os missionários escoceses Robert (1809/1888) e Sara Kalley (1825/1907) são considerados os fundadores da Escola Dominical no Brasil. Em 19 de agosto de 1855, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, eles dirigiram a primeira Escola Dominical em terras brasileiras. Sua audiência não era grande; apenas cinco crianças assistiram àquela aula. Mas foi suficiente para que seu trabalho florecesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso país. Essa mesma Escola Dominical deu origem à Igreja Congregacional no Brasil.

Hoje, no local onde funcionou a primeira Escola Dominical do Brasil, acha-se instalado um colégio (Colégio Opção, R. Casemiro de Abreu – segundo informações da Igreja Congregacional de Petrópolis). Mas ainda é possível ver o memorial que registra este tão singular momento do ensino da Palavra de Deus em nossa terra.

Houve, sim, reuniões de Escola Dominical antes de 1855, no Rio de Janeiro, porém, em caráter interno e no idioma inglês, entre os membros da comunidade americana.

Fonte:ensinodominical.wordpress.com