....................

quinta-feira, 14 de julho de 2011

EU AMO O PAPAI DO CÉU - LIÇÃO 03 MATERNAL

Palavra-Chave:
 Versículo da lição:


Leitura Bíblica: Mateus 26.6-13

I- De professor para professor

Prezado professor, neste domingo o objetivo da lição é que a criança aprenda a amar a Deus. 

•    A Palavra deste domingo é “Amor”. No decorrer da aula diga: “Amo o Papai do Céu”.
•    Demonstre aos seus alunos que você também ama a Deus.

II – Para refletir

Quando Maria ungiu a Jesus no banquete em sua homenagem, Maria deu o melhor ao Senhor. O perfume valia mais do que trezentos dinheiros, aproximadamente um ano de salário. Não era um perfume qualquer. O nardo era raro, feito de óleo aromático extraído da raiz de uma planta que cresce principalmente na Índia. Tinha de ser importado. Ele custa aproximadamente trinta mil dólares. O alabastro era um recipiente comum no Oriente próximo. O gesso branco como a neve ficava lustroso e translúcido quando polido. Fácil de ser esculpido convertia-se em cântaros ornados, caixas, vasos e frascos. Mas origem e o tipo de recipiente não era realmente importante. E ainda não o é.

O que mais importava, e o que ainda importa hoje, é o tesouro guardado dentro do recipiente. E o tesouro que Maria derramou naquele dia era mais do que perfume caro. Ela estava derramando a sua vida toda em um serviço sacrificial e de amor. Professor o que você têm oferecido ao Senhor?

Texto adaptado do livro: Como ter o coração de Maria no mundo de Marta, Rio de Janeiro CPAD.

III – Regras prática para professores

No seu exato conceito, ensinar não é apenas transmitir conhecimentos, mas, primeiro promover aprendizagem por parte do aluno. Portanto, ensinar não é apenas ler ou falar diante da classe, é despertar, motivar e interessar a mente do aluno e em seguida dirigi-la no processo do aprendizado. Não pode haver real ensino sem aprendizagem por parte do aluno. O termo “educar” deriva de outro significado literalmente “conduzir para fora”. É pois privilégio e responsabilidade do professor de Escola Dominical conduzir seus alunos ao encontro das experiências  da vida, de tal forma que eles possam viver vitoriosa e sabiamente, diante de Deus da Igreja e de seus semelhantes. Professor você foi escolhido para essa missão, desperte nos seus alunos amor a Deus. 

Texto adaptado do livro: Manual da Escola Dominical, CPAD

IV – Sugestão
 
Você vai precisar de cartolina branca, tesoura e caneta hidrográfica vermelha.
Procedimento:

1º Desenhe vários corações na cartolina branca unidos. Formando um cinto.

2º Depois escreva o versículo do dia “Ó Senhor Deus, como eu te amo!” Salmos 18.1

3º No final da aula coloque os cintos nas crianças e peça para elas repetirem o versículo do dia.



Você também poderá recortar corações em diversos tamanhos utilizando emborrachado e colocá-los embaixo de uma folha A4 ou cartolina branca e distribuir entre as crianças giz de cera para que elas passem sobre a folha e vejam o que irá surgir(o giz de cera deve estar deitado) Elas gostam muito dessa atividade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua visita.Deixe aqui o seu comentário e responderemos assim que possível.

ORIGEM DA ESCOLA DOMINICAL

Os missionários escoceses Robert (1809/1888) e Sara Kalley (1825/1907) são considerados os fundadores da Escola Dominical no Brasil. Em 19 de agosto de 1855, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, eles dirigiram a primeira Escola Dominical em terras brasileiras. Sua audiência não era grande; apenas cinco crianças assistiram àquela aula. Mas foi suficiente para que seu trabalho florecesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso país. Essa mesma Escola Dominical deu origem à Igreja Congregacional no Brasil.

Hoje, no local onde funcionou a primeira Escola Dominical do Brasil, acha-se instalado um colégio (Colégio Opção, R. Casemiro de Abreu – segundo informações da Igreja Congregacional de Petrópolis). Mas ainda é possível ver o memorial que registra este tão singular momento do ensino da Palavra de Deus em nossa terra.

Houve, sim, reuniões de Escola Dominical antes de 1855, no Rio de Janeiro, porém, em caráter interno e no idioma inglês, entre os membros da comunidade americana.

Fonte:ensinodominical.wordpress.com